domingo, 7 de janeiro de 2007

Deutschland


Alemanha era a próxima parada. Saimos da França e passamos por uma parte da Suiça antes de chegar na terra da cerveja. Ao entrar na Alemanha, a primeira coisa que se nota é a ausência do limite de velocidade na maioria das estradas (highways). Muito legal andar a 140, 160 e até a 180 ou um pouco mais sem culpa. 180 é um bom número ao qual o Passat Station Wagon em que andávamos chegou sem problemas. Pelo menos do banco de trás o carro me pareceu bem estável a esta velocidade. Diferente de carros menos potentes que a pouco mais de 120 já começam a ficar "nervosos". As estradas são muito boas, mas não é nada do outro mundo não. Estradas como a Freeway de Porto Alegre para o litoral norte do RS ou a Rodovia dos Bandeirantes que liga São Paulo a Campinas não devem nada para as estradas alemãs que andei. Acho até que as estradas brasileiras citadas tem melhor "área de escape", já que na Alemanha geralmente tem um "guard rail" pra ninguém sair da pista e algumas vezes tem até muros, o que me lembrou aquela estrada do filme Matrix (não me lembro se o 2 ou o 3). Ou seja: acabem com o limite de velocidade na Bandeirantes! 120 é pouco para aquela estrada. Mas falando sério, é meio perigoso esse lance de sem limite, pois quando alguem a 80 troca de pista, sempre pode vir algum Porsche a 300 pela esquerda, tem que cuidar o retrovisor. Aliás na Alemanha é o único lugar do mundo onde faz sentido ter um carro esporte. No resto do mundo ter um carro desses é só exibicionismo, com exceção de quem anda em autódromo.

A Raquel mora em um vilarejo próximo a cidade de Mainz. O lugar é extremamente tranquilo, segundo o Xavier tem em torno de 700 habitantes. Fica meio que na zona rural. Deve ser bom trabalhar em um escritório com vista para as plantações e sem a barulheira da cidade. Um dos programas é levar a cadelinha Perla para passear e jogar bola em uma fazenda ali perto. Detalhe, a estradinha vicinal que passa entre as plantações e onde normalmente só passa trator é asfaltada! No Cassino ainda não acabaram de pavimentar nem a Av. Atlantica! Por falar em Cassino, num desses passeios com a cachorrinha, o Xavier estacionou o carro fora da tal estradinha e acontece que estava um lamaçal dos brabos ali. Na hora de ir embora ele tentou sair sozinho e não conseguiu, depois usamos papelão, colocamos a Raquel ao volante e os dois barbados para empurrar e nada. Só patinava. Lá pelas tantas, resolvi testar minha habilidade de motorista cassineiro e conseguimos tirar o Passat da lama, aos poucos mas foi. Na foto aparece o Passat, logo depois do resgate. Foi a primeira vez que eu dirigi aqui na Europa. Uns miseros metros, mas dirigi. Me falta a maldita habilitação internacional...


Antes de morar nesta nova casa, a Raquel morava em Mainz. Ela disse que se sentia em casa quando visitamos a cidade. É um lugar bem agradável. Típica cidade universitária, com muitos jovens passeando pelo centro e inúmeros cartazes anunciando as mais diversas festas de Reveilon. No centro podemos notar a tradicional arquitetura alemã, como pode-se ver na foto a seguir.


Também fiquei sabendo que Mainz é a cidade do Gutenberg. Aquele que inventou a imprensa. Na foto estou no monumento dedicado a esta figura histórica. O monumento encontra-se em frente a um belo teatro, em um local central da cidade. Também tem um museu dedicado a Gutenberg na cidade, mas infelizmente não tivemos tempo de conhecê-lo.


Outra atração em Mainz é a igreja de St. Stephan, com vitrais pintados pelo artista bielorusso judeu Marc Chagall após a segunda guerra mundial. A Igreja tinha sido destruida (ou parcialmente destruída) durante a guerra. A cidade de Mainz foi uma das que sofreram grandes bombardeios durante a segunda guerra. Em vários prédios e monumentos encontra-se placas onde lê-se sobre o prédio original, como ficou após a guerra e informações sobre a reconstrução ou restauração pós-guerra. Na foto entrando na igreja de St. Stephen. Alguém aí sabe ler alemão? Eu não sei. Se quiser tentar, clique na foto para aumentá-la.


Passamos o reveilon em Mainz. Saímos para jantar em um restaurante croata. Pedimos o prato especial de "Silvester" que é como eles chamam o ano novo (Não é a toa que temos a "Corrida de São Silvestre" aí no Brasil). O tal prato foi bom. Essa bandeijona da foto a seguir com diversos tipos de carne. Eu que não gosto de carne nem nada...


O pessoal da foto anterior é uma família com quem a Raquel morou logo que se mudou para a Alemanha. Ela ficava cuidando das crianças da foto. Gente fina este pessoal: o Gerth, gaúcho e gremista, a Margareth, carioca e Fluminense e as crianças Mariana e Gustavo. Depois do jantar fomos ver os fogos do ano novo às margens do rio Reno, que banha Mainz tomando champagne, ou melhor, espumante ;-).

Antes de ir embora ainda deu tempo de dar uma passada em Frankfurt. Cidade grande. Vários arranha céus, lojas, bancos, muito movimento nas ruas. No centro tem algumas construções em estilo tradicional alemão que contrasta com prédios modernos. Como em toda cidade européia que se preze, tem uma catedral. A seguir, algumas fotos de Frankfurt. A primeira foto de do post também é em Frankfurt.




Não poderia deixar de mencionar a cerveja alemã. Realmente os caras fazem juz a fama de cervejeiros. Tomei algumas cervejas por lá e todas foram excelentes. Não tomei nenhuma cerveja ruim. Nem sequer uma cerveja mais ou menso. Só cervejas excelentes. Não é a toa que os alemães acham Heineken uma porcaria.

Bom, estas foram minhas festas de fim de ano. Obrigado por ter a paciencia de ler tudo isso e um excelente 2007 a todos!

11 comentários:

Fonseca disse...

Bããã... só imagino as cervejas que tu tomou... Sensacional.

d.m. disse...

Leo, muito legal o post. Ando meio cansada, e sem paciencia de escrever com calma. leva tempo e fico nervosa :-)
bjs

Leonardo disse...

Pois é Fonseca, as cervas são realmente sensacionais. Eu não gravei os nomes em alemão, mas ao que parece qualquer cerveja que tu tomar lá é de alto nível.

Leonardo disse...

Mariana (d.m.), obrigado pelo elogio ao post. Eu não fico cansado de escrever no blog. É meio que uma válvula de escape além de informar os parentes e amigos sobre o que acontece por aqui. Abraço.

Ligia disse...

Olá, Léo
Muito legais sua explicações sobre o final de ano. Sempre é bom se comemorar o Natal em família, dá uma sensação de aconchego!!! Ainda mais longe de todas as pessoas que se ama! Por asqui, vou contado os dias e tentando deixar tudo pronto...Quem sabe não faço um blog também? Abraços e boas semana.

Fonseca disse...

Pô, esqueci de dizer as cervejas alemãs que eu freqüentemente bebo aqui em PoA: Erdinger Weiss e Löwenbräu. Sensacionais.

Leonardo disse...

Oi Ligia, foram muito boas as festas sim. Me diverti bastante e conheci lugares diferentes. Sempre bom. Já estás curtindo uma tensão pré-viagem então? É legal esses dias que antecedem, a gente fica imaginando como vão ser as coisas. E quando chegamos em geral não é bem como imaginamos. Nem melhor nem pior, só diferente. Muitas vezes o que achávamos que seria complicado acaba sendo simples e vice-versa. Muito boa sorte lá na Inglaterra. Agora vamos ficar mais perto! Sobre criares o teu blog te dou todo o apoio, e sabes que é só passar o endereço que já tens um leitor fiel aqui. Grande abraço.


Aí Fonseca! Esse é mestre cervejeiro hehehe! Grande abraço tche!

Tatiane Fernandes disse...

Que loucura hein! Tu não imaginavas que a guria que não ficava mais de 30 minutos sem falar "bah" estaria falando hoje várias línguas e a gente também não imaginava que o nosso guri hoje estria vivendo uma cultura tão diferente da nossa.
Muito massa mesmo as novas experiências! E muito legal que encontrasses a Raquel depois de dez anos... Nossa!!! Como o tempo passa!
Beijos!!!

Lílian Leiria Brusque disse...

Oi Léo!!!! Pelo visto valeu muito a pena a comunicação pré Natal!!!! Fico muito feliz de ver que voces se divertiram,rendeu um reencontro muito prazeiroso e uma página linda e "informativa"!!! Que bom que aproveitaste a hospitalidade dos franceses!!!! Fiquei muito aliviada também quando a Quel me escreveu dizendo que passarias o Natal com eles e não mais sozinho!!! Ótimo 2007 pra ti!!!!

Leonardo disse...

Oi Tati, é verdade. 10 anos se foram e parece que foi ontem. Grande beijo!

Oi Lilian, muito legal receber tua visita aqui no Blog. Valeu a pena tu colocar a gente em contato sim. Estavam muito legais as festas de fim de ano. Um baita 2007 pra ti também. Apareça mais vezes por aqui. Beijão!

Leonardo disse...

Oi Tati, é verdade. 10 anos se foram e parece que foi ontem. Grande beijo!

Oi Lilian, muito legal receber tua visita aqui no Blog. Valeu a pena tu colocar a gente em contato sim. Estavam muito legais as festas de fim de ano. Um baita 2007 pra ti também. Apareça mais vezes por aqui. Beijão!