quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Pisa

Semana passada eu estive em Pisa apresentando o meu trabalho. A apresentação foi legal. Algum nervosismo inicial que desapareceu em algum momento da apresentação. Mas acho que consegui transmitir a idéia e responder tranqüilamente às perguntas que me fizeram. No restante da semana, a conferência foi boa. Com alguns trabalhos interessantes e outros nem tanto, como sempre. Agora é seguir trabalhando até a próxima conferência.

Pisa é uma cidade bem agradável. É definitivamente "mais italiana" do que Trento, mais até do que Milão e "tão italiana quanto" Roma. Quanto mais para o Sul da Itália se vai, mais "italianas" as cidades e as pessoas são, ou pelo menos mais se enquadram no estereótipo italiano que temos de fora da Itália. Tanto é que se fores para o extremo sul (Palermo, Sicilia, Calabria, Cagliari) encontras até a máfia. Gostei da "Corso Italia", uma rua bem no centro que está sempre movimentada. Gostei muito da comida toscana. Em uma das noites comemos uma "Fiorentina", sugestão do amigo italiano Marcello (que eu conhecia de Lugano). Uma Fiorentina é uma espécie de "chuleta" gigante. Mais ou menos como aqueles bifes de brontosauro do desenho dos Flintstones. É bem o meu tipo de comida. Fiorentina também pode ser o time de futebol de Florença ou uma "ragazza" nascida em Florença dependendo do contexto (ainda preciso conhecer Florença, dizem que é a cidade mais legal da Itália). Os vinhos em Pisa também, sempre excelentes. E nem precisa escolher muito. Pede-se o vinho da casa e em geral vem um vinho de boa qualidade por um preço aceitável.

Gostei também da bandeira de Pisa. Vermelha com uma cruz estilizada branca. Simples e bonita. Diversos restaurantes a ostentam e também no topo da torre de Pisa tem uma. Eu nunca vi um restaurante em Rio Grande exibir a bandeira da cidade. Embora a bandeira de Rio Grande seja feinha, na minha opinião. Não tinha cores melhores do que azul calcinha e verde?? Achei legal também o time de "calcio" local, que joga todo de vermelho, e com a tal cruz como símbolo. Quando voltei a Trento descobri que o Pisa está em primeiro lugar na serie B italiana. Já tenho time na segundona! Na série A ainda não me decidi. Só sou meio anti-Juventus. Gosto de vários dos outros times. Uma pena que não se possa ver nenhum jogo da serie A ou B na TV aberta por aqui. Uma pena também que em Trento e cidades vizinhas não haja nenhum time que preste.

Na quarta-feira teve um jantar social bancado pela conferência (ou por nossas universidades, que bancaram a inscrição nada barata). A janta foi em um antigo mosteiro, um belo prédio de mil-seiscentos-e-pouco que hoje abriga o museu de história natural de Pisa. A arquitetura do prédio é bem legal. Antes da janta conhecemos o acervo do museu que conta com diversos animais empalhados e cuja principal atração são esqueletos de baleias. Há, nada que eu não tenha visto parecido no museu oceanográfico. Mas a guia italiana falava com extrema admiração daqueles esqueletos (aos quais talvez 90% da população de Rio Grande não dê a mínima). Deu até saudade do museu oceanográfico. Depois a janta em si. Entrada com frutos do mar. Depois massa. Massa pra italiano é como arroz para brasileiro: SEMPRE tem. E depois trouxeram um javali inteiro. Um baita de um bicho em uma bandejona e encerraram com um bolo que parecia bolo de casamento, só que com o nome da conferencia escrito em cima. Tudo acompanhado de vinho branco, tinto, espumante e água mineral. Muito legal a janta. Legal também porque fiz amizade com a galera que estava na minha mesa. Uma turma de espanhóis muito gente fina (além dos amigos dos tempos de Lugano Anna e Marcello). Depois dessa janta, Pisa ficou ainda melhor pra mim, pois estar com pessoas divertidas e amigáveis é muito melhor que conhecer a cidade sozinho. Dos povos europeus com que eu tive a oportunidade de interagir, com certeza o espanhol é o mais parecido com o brasileiro.

Na última noite e na última manhã de viagem, finalmente consegui ir conhecer a torre de Pisa. A tal da torre inclinada. A torre foi construída, obviamente, para ficar na vertical, mas as fundações por volta do ano 1100 não eram apropriadas e ao longo dos anos ela foi se inclinando. Acabou sendo ótimo para a cidade, pois a torre é o símbolo de Pisa, e um dos símbolos da Itália. O local é bem agradável. Além da torre, tem uma catedral e um "batistério". Ambos prédios de bela arquitetura. Tem ainda um gramado onde muitos italianos curtiam o sol do outono pisano e muitos turistas orientais tiravam muitas fotos.

Enfim, Pisa é legal pra caramba. Recomendo!

As fotos estão no Picasa, pra variar.

3 comentários:

Histórias...... disse...

tu e tuas bandeirinhas sempre, aliás a leonarda tbé adora uma bandeirinha prá sair nas fotos...ehee
tirou foto do javali, tadinho...?
bj

Anônimo disse...

Tá giro, parece que não consigo comentar... a ver se é desta!

Por esta altura ando também a escrever os posts da minha visita a Pisa.´Sinceramente, esperava um pouco melhor, mas é uma cidade simples e bonita, onde se come bem, e que tem de facto uma Piazza dei Miracoli fantástica!
Depois confiro as tuas fotos para as comparar com as minhas.
Abraço,

Hugo
http://dottoratoamilano.blogs.sapo.pt

Leonardo disse...

É, eu gosto de bandeiras mesmo ;-). Não tirei foto do javali. Ainda estou esperando as fotos dos espanhóis. Se algum deles tirou eu coloco no Picasa também. Aguardemos.

Pois é Hugo. É realmente uma cidade simples. Mas ainda assim correspondeu as minhas expectativas. Quando postar as fotos te aviso. Abraço.