sábado, 11 de novembro de 2006

Viagem de Volta - Parte 3

Buenas, eu sei que estou demorando pra atualizar aqui, mas os últimos dias tem sido de correria. Mas vamos lá, vou contar a terceira e última parte da viagem até Trento, onde estou morando.

Depois do city tour em Lisboa, voltei para o aeroporto para pegar o voo até Zurique. O voo deveria sair por volta das 17:30, mas pra variar atrasou. O voo saiu atrasado. Acabei chegando em Zurique pouco antes da meia-noite. Pior, fui pegar a mala da esteira e lá se foi a alça. Ficou a verdadeira mala sem alça. 33Kg de mala sem alça. É mole? Ainda bem que pelo menos tinha uma alça lateral, mas não tão conveniente quanto a que arrebentou. Lá fui eu com duas malas gigantes pegar o metrô até a estação de Zurique. É realmente gratificante subir em metro com duas malas de 33Kg cada, uma delas sem alça.

Buenas. Quando cheguei na estação, meia-noite e pouco, evidentemente não haviam mais trens para nenhum lugar que me interessasse. Comprei, nas máquinas pois as bilheterias estavam fechadas, uma passagem para Lugano para as 6 da manhã. Nisso já era quase uma da manhã, e eu pensei comigo: "Já dormi no aeroporto em Lisboa na ida, não vou pagar um dos acessíveis hotéis de Zurique para ficar das 2 as 5 da manhã, vou ficar rateando aqui na estação mesmo até as 6 horas." Beleza, mas quando deu 2 da manhã veio o segurança, primeiro falando em alemão e ao ver que eu não entendia lhufas falou em inglês: "A estação vai fechar, o Sr vai ter que sair. Aqui dentro ninguém pode ficar. Reabrimos às 4 horas." Que beleza, lá fui eu com minhas 2 malas ficar na porta da estação, no ponto de táxi. Quase acabei com minha revistinha de palavras cruzadas. Lá pelas tantas chegou um suiço meio de trago, conversou um monte com os taxistas em alemão e depois veio falar comigo em alemanglês. Já tava meio frio aquela noite, e quando o cara ficou sabendo que eu era do Brasil disse que eu deveria ir para a rua tal, onde tem festas latinas e tal. Se não fossem as minhas malas talvez tivesse aceitado, mas preferi seguir nas palavras cruzadas. Quando eram umas 3:30 mais ou menos me começa uma chuva extremamente gelada. Era tudo que eu estava precisando. Fui o mais pra baixo da marquise possível mas mesmo assim o vento trazia a chuva pra cima de mim. Que beleza!

Finalmente ás 4 da manhã reabriu a estação e eu e mais uns malucos que devem ficar na estação todas as noites, pois pouco antes das 4 apareceram para esperar abrir. Aí esperei até as 6 e embarquei com minhas confortáveis malas no trem. Chegando em Lugano, a boa notícia que eu já esperava é que para passar de uma plataforma a outra deve-se descer e subir escadas, o que é ótimo com 66Kg de bagagem. Comprei minha passagem para Trento e voltei a subir e descer escadas para pegar o trem. Com escala em Milão (estação grande, não tem escada!) e Verona (Aqui curti mais umas escadas...) finalmente cheguei a Trento, meu destino final, onde as últimas escadarias me esperavam. Passei a primeira noite em Trento e, no segundo dia já me mudei para minha nova casa, levando as malas de ônibus. Maravilha!

Agora, sempre que eu vejo as malas aqui em casa já me lembro de chuva e de escadas. Mas faz parte. Tá na chuva é pra se molhar, pelo menos tem conteudo pra escrever no blog.

Estou morando com dois outros estudantes. Um da Ucrania e outro da Bielorrussia. Tranquilo. O problema é quando resolvem falar em russo entre si. Aí não entendo lhufas. Buenas, essa foi a última e mais cansativa parte da viagem. No próximo post falo de Trento, minha nova cidade.

Um comentário:

Marcos disse...

Muito bom seus comentarios sobre Trento, Meus antepassados imigraram de Trento para Sta Catarina depois a Curtiba/PR, tenho curiosidades sobre a Cidade, entrei em contato com uma pessoa da familia aí de Trento, mas não a conheço pessoalmente ela trabalha na ITC, se puder enviar fotos de Trento agradeço,

Grato

Marcos Coraiola
macctba@gmail.com