domingo, 10 de abril de 2011

Além do Bem e do Mal


Nietzche diz assim na sua obra entitulada "Além do Bem e do Mal":

‎"A 'exploração' não é própria de uma sociedade corrompida ou imperfeita e primitiva: ela é própria da essência daquilo que é vivo como função orgânica fundamental, ela é uma consequência da autêntica vontade de poder, que é precisamente a vontade de vida. - Supondo que, como teoria, isso seja uma inovação - como realidade, é o fato primordial de toda a história: seja-se honesto consigo mesmo até esse ponto!"

Há de se convir que os políticos, por exemplo, são seres extremamente "vivos" para Nietzsche. É um interessante debate a questão de concordar com ele sobre o que é ou não é "corrompido" ou "imperfeito". Mas não há como deixar de concordar com ele que isto que ele diz é, definitivamente, a realidade.

Imagem daqui.

3 comentários:

F! disse...

Eu acho que os políticos abusam dessa necessidade de "vida"! ehehe Claro que o Nietzsche pensou isso em planos bem menores. Hoje, em uma sociedade globalizada, complexamente interligada fica meio doido pensar que isso seja algo natural. No fundo, acho que é. Pois várias vezes já pensei se não me aproveitei de uma situação para "explorar", de certa forma, outra pessoa.

Somos maus, meu!

Andréia Alves Pires disse...

Cara nova! Curti. Bjo, bjo!

Azul disse...

Leonardo, vi sua entrevista no "Brasil na Itália".
Sou mestrando de computação da UFRGS (entrei no início deste ano) e pretendo fazer meu doutorado na Catânia. Se tiver como, gostaria de trocar umas ideias com você, ainda por cima que você também é da computação. Meu e-mail é azulunifei@gmail.com.

Obrigado. Abraços.