sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Rio de Janeiro

Houve ontem e continua hoje uma mega-operação das forças da ordem envolvendo o BOPE, a polícia militar, a polícia federal, a polícia civil, a marinha, o exército e a aeronáutica na cidade do Rio de Janeiro. Estive olhando na televisão e as imagens são de guerra. Mas pelo menos pelo que eu vi, de longe e pela imprensa, me parece estar agindo certo o poder público. Já era hora de tentar dar um basta ao verdadeiro exército de traficantes que se viu ontem nas imagens da televisão. Falando em imagens, vou usar o conceito que diz que uma imagem vale mais do que mil palavras e ilustrar o post com a imagem mais expressiva que encontrei na imprensa.

5 comentários:

Cris disse...

Ai Leo, nem me fale! Nao dormi essa noite preocupada com a minha mae! Assim que eu soube dos ataques de ontem liguei pra casa pra saber como estavam. Graças a Deus estava tudo bem, mas foi impossivel nao ouvir o barulho das metralhadoras atraves do telefone.

Eu tambem sou de acordo com a politica de repressao do governo do Rio. Ja era hora de alguem enfrentar cara a cara o trafico. Mas nao adianta so a medidas de repressao, è necessario tambem algumas medidas (que realmente eu nao sei qual) para diminuir o consumo de droga, porque enquanto houver um alto consumo de droga, vai haver traficantes super armados, pois è o consumador quem sustenta toda essa situaçao.

Eu espero de todo coraçao, porque sou carioca e acima de tudo brasileira, que depois dessa tempestade que parece mais uma guerra civil, o sol volte a brilhar na cidade Maravilhosa!

Um beijo pra ti e bom fim de semana!

Juliana disse...

Tomara que o Rio possa finalmente conhecer a paz e que o Brasil tenha outra imagem aqui fora.

Também achei esta foto muito expressiva quanto polemica. Foi publicada na Repubblica.it.

Beijos

Carina disse...

Como moradora do Estado do Rio de Janeiro, vejo e ouço notícias de combate ao tráfico há algum tempo. Famílias sofridas por morte de bala perdida e a sensação de impotência. Quando as forças iniciaram a retomada, tive uma sensação de alívio. Finalmente! Já era hora! Em dois mil e sete fiquei hospedada na região do conflito. Recordo a insegurança, o desfile acelerado de "caveirões" e a prontidão de PMs armados com fuzis na entrada das comunidades. A permissividade e o descaso de anos culminaram no cenário atual, muito mais grave do que aquele que presenciei. Lamento pelos cidadãos corretos residentes que agora têm suas casas reviradas e objetos revistados, depois de tanto sofrimento. Que seja somente esse o preço por uma vida tranquila.
Ao contrário do comentário aí de cima, quem recebeu ligações fui eu. Mãe se preocupa sempre.

Conecta disse...

Oi Leonardo,
tudo bem?
Você é um brasileiro na Itália, e eu, um italiano no Brasil.
Escrevo do Rio de Janeiro, você é de qual cidade do Brasil? E agora, vive onde na Itália?

Sobre esse assunto do BOPE nas favelas, ainda tem muito caminho pela frente, mas acho que é um inicio. So é importante lembrar que as condiçoes dos moradores de favelas têm que melhorar, não é so matar e prender traficante que vai resolver tudo.

Te convido para visitar o meu blog >> www.conectaitalia.blogspot.com

Abraços, Davide

Leonardo disse...

Ciao Davide,

Eu sou do Rio Grande do Sul. Morava em Trento mas agora estou de volta ao Brasil. Vou ter que mudar o título do blog logo logo.

Vou visitar teu blog sim. Obrigado pela visita.

Abraço.