quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Saudade

Saudade da família
Saudade dos meus pais
Da minha irmã
Saudade da minha filha

Saudade dos amigos
Saudade do Cassino
De cervejada, jogatina
Saudade dos meus primos

Saudade do Brasil
Saudade de churrasco
De espeto corrido
Saudade do Beira Rio

Saudade de arroz com feijão
Saudade de anchova assada
Da bela Floripa
Saudade de pastel de camarão

Saudade do sul
Saudade dos gaúchos e gaúchas
Do sotaque papareia
Saudade, uma barbaridade

12 comentários:

Andréia Alves Pires disse...

que de verdade... :) bjo e saudade.

Leonardo disse...

Valeu Déia. Um beijo.

Juliana disse...

Poesia de sua autoria?
Também ando com uma saudade tao apertada la das minhas bandas... dos meus pais, irmaos, familia e amigos, daquela correria de Sao Paulo que nao tem aqui, nem em Milao e nem em Roma, do cheiro de casa, dos sotaques brasileiros, das paisagem marcada pelas Alterosas quando vou a Minas... de tanta coisa.

Leonardo disse...

Oi Ju,

Não sei se chega a ser uma "poesia", mas é de minha autoria sim. "Saiu" agora há pouco, em quinze minutos, depois do almoço e antes de uma reunião de trabalho, quando bateu essas saudades aí. Tem dias que a gente se inspira. Saudade é foda né? Que coisa. Beijo pra ti.

Marina disse...

Isso me lembrou uma música de Belchior (não é porque falar dele está na moda agora, eu realmente gosto das músicas) chamada Tudo Outra Vez, em que ele fala da época em que estava exilado.

Espero que seja uma saudade boa. Beijos!

Cris disse...

A Saudade esta em toda parte.... Eu tambem ando saudosa da minha terra e dos meus!

Parabens... lindo o seu poema!

Leonardo disse...

Bonita a letra do Belchior Marina.
Acho que saudade de casa sempre vai existir, pra quem está tão longe. Não tem jeito. Taí a Cris que não me deixa mentir.

Obrigado Cris. Que bom que gostaste.

Nóbrega disse...

"Sotaque papareia..." hehehehe
boa!
Isso talvez seria saudade do termo mais gaúcho que existe no mundo o "Capaz!". Em nenhum outro lugar do planeta escutei alguém dando mais que 2 entonações para esse termo - assim como nós fazemos...em terras papareias existem milhares de tipos de "capaz!"

Por isso, tudo isso me pareceu saudado do "capaz!"...
ihhh que doidera eu entrei...hehehehe

Leonardo disse...

Verdade Nóbrega. Provavelmente em outros estados "capaz" seja uma palavra tão pouco usual quanto "sagaz" ou "audaz", mas no RS o "capaz" é o "capaz". Fazem falta vários termos: "tri", "afu", "monga", "gurizada", "pandorga", "bergamota", "cagar a pau" (amigos paulistas juram que nunca tinham ouvido isso), "mazanza", "bago", "fiasquento(a)", "guasca", "encasquetar", "sismar", "bah", "tchê", ...

Nóbrega disse...

"cagar a pau" é só daqui?
cara que locura!

Tati. disse...

tudo isso te espera :)vem logo!

Carina disse...

Bah,Leonardo... Eu aqui pelas terras do sudeste tenho que "traduzir" certas expressões gaúchas. Os cariocas não me entendem, guri! E os olhares de admiração por existir alguém que não fala chiado? Rsrs. Lindo desabafo em forma poética. Abraço.