terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

O Tal de Jabor

Eu li aquele livro do Arnaldo Jabor "Amor é Prosa, Sexo é Poesia". Li principalmente porque achava curioso o quanto todo mundo "idolatra" o Jabor, e eu o conhecia do Jornal Nacional, mas não o idolatrava. Prova do sucesso do Jabor são os inúmeros textos na Internet que são atribuídos a ele, mas que não são dele. Só para chamar a atenção para algum texto ou idéia que ninguém leria se não fosse "do Jabor" (acho até que o Jabor já superou o L. F. Verissimo, clássica vítima de atribuições enganosas na rede).

Eu devo admitir que ele escreve bem. O texto flui legal, e eu acabei o livro em um fim de semana. O meu problema com o Jabor é que eu achei-o muito pessimista, ou deprimido. Em praticamente todos os textos, ele reclama de alguma coisa. Que nos seus textos sobre política ele reclame, tudo bem. A nossa política não anda lá essas coisas, e nem a dos EUA que ele também detona no texto "Espelho meu, quem é o imperador do mundo?" sobre o Bush, que na minha modesta opinião é o melhor do livro. Mas ele reclama do amor, reclama do sexo, reclama dos seus fãs "chatos", reclama do mundo moderno, reclama do carnaval moderno, reclama dos liberais, reclama dos comunistas, reclama, reclama, reclama... No livro todo, nas 36 crônicas eu só me lembro de ele falar bem de três coisas: do avô dele, do passado (sua juventude) e dos travestis. O resto é tudo um lixo para o Arnaldo. Espero não me tornar tão saudosista e mal humorado assim no futuro. Mas pode ser que eu esteja errado. Pode ser que eu seja um otimista bobo e que o pessimismo e a critica a quase tudo sejam a solução dos problemas. O que achas leitor?

Observação: Eu não estou dizendo que o livro seja ruim. É apenas pessimista. Gostei de ter lido, e até recomendo.

5 comentários:

Leandro Fonseca disse...

Eu só digo uma coisa: aguardem o meu livro. hahahaha!

Leonardo disse...

Opa, vou querer uma cópia autografada hehehe!

Tatiane Fernandes disse...

isso porque tu ainda não leu o do Washington Olivetto. O nome do livro é "Os piores textos de Washington Olivetto". Pura bucha! O cara é o mais chato perfeccionista tira onda e se acha! como escritor de crônicas ele é um ótimo publicitário.

Freakie! disse...

Puxa...Jabor is God man!

Mas tudo bem...ele realmente tem essa característica, mas se pá é o jeito de escrever do cara. Eu li esse livro e gostei bastante.

Ver ele no Jornal da Globo mata a pau. Eu fico babando por aquele véio! haahahaha

;)

Leonardo disse...

Freakie, depois eu li o livro "Pornopolítica" dele e achei bem melhor que esse. Acho que o negócio dele é escrever sobre política mesmo, pois aí pode reclamar a vontade ;-).