quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Diferenças da Europa para o Brasil

Algumas coisas acontecem aqui e, infelizmente, não no Brasil. Hoje eu estava esperando o ônibus e a senhora do caixa do supermercado, do nada, parou pra me oferecer uma carona. Se ela não me fala que me conhece do supermercado eu nem saberia quem é. Isso dificilmente acontece no Brasil por dois motivos: 1. Caixa de supermercado no Brasil dificilmente tem carro; e 2. Se tiver carro não pára pra oferecer carona pra qualquer cliente, ainda mais um cabeludo que vive comprando cerveja, pois tem medo de ser assaltada. Conversando no caminho pra cá ela descobriu que eu sou brasileiro, e aí me disse que já esteve em Buenos Aires e no Chile, mas que ainda não foi ao Brasil. Quer dizer, aqui o caixa de supermercado além de ter carro ainda faz viagens intercontinentais. Em Rio Grande, um caixa de supermercado quando muito consegue sair de Rio Grande por uns dias. Nada contra os caixas de supermercado, muito antes pelo contrário. Acho que é uma profissão digna como qualquer outra e que mereceria um salário decente no Brasil como temos aqui.

A senhora que serve cafézinho na faculdade, por exemplo, pratica mergulho. Um esporte caríssimo. Ela expõe suas fotos subaquáticas na sala do café. Alguém me disse que um curso de mergulho no Brasil custa uns R$ 2000. Quando que alguém que serve café no Brasil vai poder praticar um esporte desses? Em conclusão, a diferença entre o Brasil e o primeiro mundo que eu quero destacar é que aqui tu podes escolher o que queres fazer da vida. Aqui tu podes escolher trabalhar no supermercado, ou no café, ou na pizzaria, ou dirigindo um ônibus e vais ter teu carrinho, vais poder viajar de vez em quando, enfim, vais ter uma vida digna. No Brasil pra ter essas coisas básicas tens que te especializar muito mais. Uma pena. Mas o Tom Zé canta que quando o petróleo acabar o Brasil vai ser a nação mais rica do mundo. Tomara.

7 comentários:

kaka disse...

eheheh, acabastes com os brasileros.
nosso ex porteiro tbé ia para o chile..ehehe
aqui que as pessoas ganham mal.
mostraram uma faxineirame minhas que ganha 8.000 a 10.000 mil m~es e chegou recentemente de Milão onde passou tres meses visitando a filha e ainda voltou com grana prá dois carros de luxo..eheheh
bj

Leonardo disse...

Minha intenção não era "acabar com os brasileiros". O Brasil pra mim ainda é o melhor lugar do mundo. Temos churrasco, o povo mais gente fina do mundo, um clima tropical e muitíssimos recursos naturais. A economia brasileira é que ainda não decolou.

Dentro da Bota disse...

Bom... na "parte da Italia" que moro..rsss
Ninguem te oferece carona...rsss so seus amigos mesmo....
Com diferença diferenças culturais existem de uma bairro e outro... ainda mais de duas naçoes...

Gi

Leonardo disse...

Verdade Gi,

Este post foi um caso que aconteceu. Com certeza não é a regra, mas aconteceu. Eu acho que aqui no norte a cultura é bem diferente das regiões mais ao sul. Nem melhor nem pior, apenas diferente. E não, isso que eu relatei definitivamente não acontece todos os dias, acho que em lugar nenhum ;-)

Obrigado ppela visita!

Juliana disse...

Leonardo, muito legal teu blog! Te achei no blog BRASIL NA ITALIA e resolvi curiosar...

Sobre o tema que trataste, estava conversando exatamente sobre isto ontem com meu namorado. E' bom e ruim. Bom porque nao tem tanta desigualdade social e ruim porque quem "se matou" de estudar, pode nao ganhar tanto ou até menos de uma pessoa que nem tem diploma.

Posso colocar seu blog nos meus favoritos? Também tenho um blog, se quiseres ver é este o endereço: http://jrscarvalho.spaces.live.com/

Leonardo disse...

Oi Ju. Obrigado pela visita. É verdade, aqui para "matar estudando" só vale a pena para quem gosta mesmo.

E claro quer podes adicionar o blog aos favoritos ;-)

Beijo!

Juliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.