terça-feira, 13 de outubro de 2009

O Que A Gente Sabe?

Quando eu era criança, eu achava que os adultos sabiam muita coisa. Eu achava que os adultos sabiam praticamente tudo. Que os adultos tinham todas as respostas. Era um pensamento reconfortante. Caso eu tivesse alguma dúvida, eu perguntava a um adulto e pronto. Acabou-se a dúvida. E assim poderia eliminar com extrema facilidade qualquer dúvida que fosse. O mundo era simples.

Hoje eu sou adulto e vejo que não é bem assim. E me pergunto: o que é que a gente sabe?

A gente sabe um pouco sobre economia. Hoje eu sei porque a loja de brinquedos não vende autorama por 10 centavos, ou qualquer quantia ridícula em cruzados, como eu sugeri ao meu pai uma vez: "Pai, eu não entendo porque as lojas vendem tudo tão caro. Poxa, se eu tivesse uma loja, venderia cada brinquedo por dois cruzados novos. Eu ia vender tanto brinquedo, mas tanto brinquedo, que garanto que ia ganhar mais dinheiro que todas as outras lojas." Mas meu pai me explicou pacientemente como as coisas funcionam, que a loja tem funcionários e que compra os brinquedos de uma fábrica, que por sua vez também tem funcionários e que compra matéria prima... Em resumo, me explicou que nada é de graça nesse mundo. Eu, bem ou mal, entendi aquela explicação, ou seja, uma criança pode entender o básico da economia. Daí para o mercado internacional de mercadorias e futuros é só um pouco mais de sofisticação.

A gente sabe alguma matemática, se resolveu dar um pouco de atenção àquelas aulas na escola. Sabe um pouco de biologia (Darwin é o cara!), sabe um pouco de física (Newton e Einstein também são os caras!) que desenvolvemos bastante para melhor destruir uns aos outros. Sabe um pouco de história, mas não o bastante para evitar que guerras continuem acontecendo pelo mundo afora. Sabe programar computadores. Agora eu sei um pouco dessas coisas, que não sabia quando guri. Mas é só isso? Fomos nós mesmo que inventamos a economia, a matemática, a física, a biologia, os computadores, registramos a história... Mas o que a gente sabe sobre o mundo? Sobre a vida? Poxa, os adultos deveriam ter todas as respostas. Eu acho que tenho tão poucas. Na verdade, certeza mesmo não temos nenhuma. Absolutamente nenhuma.

E vemos tanta coisa obviamente errada no mundo. Crianças passando fome, gente se bombardeando sob o pretexto arcaico de "religião", políticos muito bem pagos roubando descaradamente o próprio país, guerras por petróleo... só pra ficar em alguns dos milhares de exemplos. E não se vê grandes esforços pra mudar isso. Quer saber, os adultos parecem crianças! Crianças com armas na mão e com a pose arrogante de adultos que têm todas as respostas. Patético. As vezes o mundo é simplesmente patético.

Não, eu não tenho solução nenhuma. Isso é só um desabafo. Certo estava o Sócrates quando disse "Só sei que nada sei". E, já que falamos em Sócrates, sabes tu leitor, do que morreu o grande filósofo? Foi condenado a pena de morte por envenenamento sob a acusação de ter "corrompido a mente dos jovens de Atenas". Responsáveis pela condenação os políticos da época. Adultos que certamente sabiam de tudo... Eu sinceramente não acho que saiba assim muito mais do que sabia quando tinha uns 12 anos de idade.

13 comentários:

Marina disse...

A gente pode não saber, mas o Google sabe. =P

Ótimo texto, Leonardo.

Andréia Alves Pires disse...

olha.. tenho gastado tempo pensando justamente nisso. essa semana anda uma brigalhada lá no condomínio, maior baixaria... de adulto. mas com argumentos de criança com menos de 7 anos. dá pena de ver. e a minha sensação é essa mesma... mentiram quando nos fizeram acreditar que os adultos sabiam das coisas. As pessoas se gabam de ter tanta "bagagem", tanta "vivência", mas isso nem sempre quer dizer alguma coisa.
Beijão.

Tita disse...

Excelente :)

Leonardo disse...

Comentários positivos (bem como críticas construtivas) são o combustível que move um blog. Muito obrigado gurias! Beijões!

Regiane disse...

Leo, eu também passei muito tempo achando que os adultos sabiam tudo... E cresci e descobri que quando criança eu sabia muita coisa que fui esquecendo com o tempo. E acho que é aí que está o maior problema dos adultos, esquecer as coisas básicas da infância.

E quem sabe que nada sabe... já sabe alguma coisa! =P

Débora L. Freitas disse...

Crianças são futuros adultos, e adultos são grandes crianças. Na verdade, não vejo muita evolução na espécie humana, só nos tornamos mais organizados e inventamos coisas, como citastes, para nos sentirmos superiores e alimentar nosso desejo infantil de ser o dono do mundo.

.Kel. disse...

Adorei o post!

Acho que hoje as crianças lá pelos 6 anos tem a certeza que nós adultos não sabemos de tudo.

"Na minha época" a professora da escola era uma pessoa sábia e minha avó a mais sábia de todas.

Hoje vejo minha sobrinha constatando que sua professora erra "as continhas" e ainda algumas vezes usa calculadora para colocar os resultados no quadro em pleno 4º ano do ensino fundamental.

Já cheguei a conclusão que quanto mais estudo e me aperfeiçoo em algo, menos sei do todo, e verifico o quanto somos limitados no saber.

Leonardo disse...

Bom receber tantos comentários. Faz tempo que não acontecia. Valeu!

"Esquecer as coisas básicas da infância." É, como a espontaneidade entre outras coisas, talvez.

A professora da quarta série usando calculadora é bucha. Como vai exigir das crianças que não usem? Complicado...

Regiane disse...

É, como a espontaneidade, e como valorizar pequenas coisas, como a beleza de uma joaninha que entrou outro dia aqui em casa e deixou a mim e à minha filha de 4 anos maravilhadas... Mas será que se Alice não estivesse comigo eu ia prestar atenção? Sei não...

Brasil na Italia disse...

Final de semana passado assisti um filme muito interessante que dá pano para muita filosofia. Se chama "Segnali Futuri" com Nicolas Cage. Para pensar: a vida é feita de uma série de coincidências ou vale mais o lema "maktub"? Recomendo.

Leonardo disse...

Obrigado pela dica! Conferi o trailer agora na Internet. Parece bom. Vou ver o filme se tiver oportunidade. Embora eu seja partidário da "série de coincidências", é sempre bom ver um bom filme. Beijo!

Andréia Alves Pires disse...

Já tá em casa? :) bjo, bjo.

Dalva disse...

Muito bom!

É Rock demais Brasil!